Praia do Madeiro – Madeiro Beach / Pipa, RN

Praia do Madeiro – Madeiro Beach 

Praia do Madeiro

Linda, linda, linda. Essa praia é cercada por imensas falésias cheias de árvores.

Falésias - Praia do Madeiro

With exuberant nature edged with an immense stretch of coconut palms the beach situated below the Village Natureza hotel (which stands on the cliffs above) is in a calm bay with gentle waves making it ideal for swimming. If you are lucky you might also see the magnificent natural show the dolphins often give in the mornings. For those who like walking we suggest a stroll along the sand to the next beach

No mar a gente pode nadar, surfar, aprender a surfar, pegar um caiaque e sair remando, olhar a moçada surfando ou apenas meditar e agradecer a possibilidade de estar num paraíso. Ah!!!! Os golfinhos estão lá também, então é bom saber que voce vai dividir o espaço com eles o dia todo.  Que chato!!!

Imagine só voce poder ver uma praia fantástica, num dia lindo de sol… E pra completar receber as boas vindas de vários saguis mansinhos que vieram comer côco com a gente. Eles fazem parte da paisagem pipense, já são dóceis devido ao grande contato com humanos e podem ser vistos com facilidade durante o dia. São animais arbóreos, vivem no máximo quatro anos e geralmente vivem em grupos de dois a 13 indivíduos. Alimentam-se de insetos, frutas e gomas de árvores.

Saguis na Praia do Madeiro

Os sagüis são menores os macacos que existem, sua cauda longa nunca preênsil, a cabeça mais longa que larga, unhas longas com a forma de garras. Animais tipicamente florestais, lembram os esquilos pelo seu comportamento e na forma do corpo. Raramente adotam a postura bípede. Apoiam-se sempre nas quatro patas, ou deitam-se nos galhos, com a cauda pendente.

Bom, lá embaixo, na areia da praia avistamos várias cerquinhas feitas pelo projeto Tamar. Tudo bem né!  Afinal, com tanta natureza explodindo naquela área eu não estava surpresa se ali eu pudesse ver tartarugas marinhas. “Caraca”, eu só não estava esperando ver com meus próprios olhos os filhotinhos de tartaruga saindo dos ovos. Eram vários… e o cara do projeto Tamar vidrado, abrindo um buraco na areia pra ajudar as tartaruguinhas chegarem até o mar! O que é que eu quero mais? Sossego!!! E alí naquele pedaço maravilhoso de praia eu encontrei!!

fihlotes de tartarugas marinhas

Me deu vontade de falar em Deus… e toda essa experiência que acabei de ter em Pipa. E olhe que não é minha primeira vez lá, é a terceira, vai!! Senti Deus em cada pedacinho de natureza, Ele estava alí… Paz, conforto, harmonia, plenitude, tudo perfeitinho, tudo se encaixando em total equilíbrio.

Valeu!!!!

 

Anúncios

Pipa é show!!

Hummmm….
Praia do amor!!!

Praia do Amor- RN

Uma das praias mais charmosas do Brasil

Ela fica em Pipa, Tibau do Sul- RN. È uma das praias mais lindas que já conheci, e de verdade muito inspiradora. De cima das falésias a gente começa a entender o porque desse nome: Praia do Amor. Olhando para o lado direito notamos uma formação de corais com shape de coração.

Que presente da natureza!

Descendo as falésias até o paraíso

A praia do Amor e dos Afogados é um dos melhores points de surf do nordeste, com ondas o ano todo. No outro extremo da baia a praia do Amor, oferece piscinas quentes e é um belo cenário para encontros amorosos.

Também olhando para o mesmo lado direito da praia observamos a rocha que deu origem ao Nome do lugar.

Pipa Beach - Praia de Pipa
Dizem que na época do descobrimento, os portugueses chegaram ao local e viram uma rocha que parecia um Barril de longe, temos que “Pipa” no tradicional português de Portugal significa Barril, por isso esse nome Pipa.


Então a Praia do Amor que se junta com a praia dos afogados a esquerda é um dos points mais badalados da região. Lá acontecem as principais competições de surf.  Gente bonita por todo lado, artes, artesanato, descontração.

Cavalos marinhos esculpidos em coqueiros

Na entrada da Praia do Amor esculturas nos dão as boa vindas…

Um mix de total relax com muita agitação. E no fim da tarde curtir o por do sol a dois… Da vontade de ficar lá pra sempre!!

Pipa - praia do Amor

História do Kitesurf

Por Editoria em 14/02/2011

O kitesurf que é praticado hoje foi inventado por dois irmãos franceses: Bruno e Dominique Legaignoix. Os irmãos, que eram navegadores, surfistas e windsurfistas, desenvolveram uma pipa com câmaras de ar, em 1984. Uma vez infladas, o ar não escaparia delas, o que permitia que fossem erguidas novamente da água toda vez que caíssem, sem precisar de ajuda de terceiros.   A invenção dos irmãos Legaignoix foi patenteada e eles participaram de uma série de regatas internacionais de velocidade com esquis aquáticos para desenvolver o invento nos anos de 1985 e 1986.

Em 1993, as pipas, já então desenvolvidas, começam a ser vendidas.   Antes da invenção dos irmãos Legaignoix, o kitesurf já existia. A maioria das versões sobre o surgimento das pipas (em inglês, kites) aponta a China como seu lugar de origem, há mais de 2 mil anos. As pipas ajudavam a navegação de barcos e o transporte de materiais pesados de construção.   Por volta do ano 700, alguns missionários budistas teriam levado pipas ao Japão, que passaram a ser usadas com alguns propósitos militares e religiosos, já que seu barulho servia para intimidar inimigos e a altura que atingiam ajudava na observação de posições distantes.

Na Segunda Guerra Mundial, as pipas também foram usadas, dessa vez como mecanismo de defesa contra aviões. O explorador italiano Marco Pólo teria sido responsável por levar as pipas da Ásia para a Europa, em 1295.   O inglês George Peacock é considerado o pai da tração à pipa por ter inventado, em 1826, em Bristol, na Inglaterra, uma estrutura em que as pipas puxavam carroças a velocidades de até 20 km/h. Essa invenção foi patenteada, mas não evoluiu muito em quase 150 anos, a não ser pela experiência do americano Samuel Franklin Cody, um dos pioneiros da aviação, que navegou o canal da Mancha puxado por uma pipa.

Em 1964, Domina Jalbert, dos Estados Unidos, criou a primeira pipa que era inflada de ar. Na década de 70, alguns americanos começaram a usar pára-quedas para puxá-los sobre esquis aquáticos. O holandês Gijsbertus Panhuise, em 1977, conseguiu patentear um equipamento em que uma pessoa é puxada por um pára-quedas em uma prancha e, em 1978, um barco movido à pipa, desenvolvido pelo americano Ian Day, ultrapassa a velocidade de 40 km/h.

Foto de Nicolly Andrade
Na década de 80, algumas tentativas de combinar pipas com canoas, patins, patins de gelo, esquis, esquis aquáticos, entre outros, foram feitas. Uma delas foi a do suíço Andréas Kuhn, que levantava da água sobre uma prancha similar à de wakeboard impulsionado por um equipamento de parapente de aproximadamente 25 m². Ele foi o primeiro a saltar a grandes alturas com ventos fracos e foi mostrado pela TV européia.
Em 1998, em Maui, no Havaí, foi disputado o que foi chamado de 1º Campeonato Mundial, nas modalidades de longa distância, wave e slalom. Dos 24 competidores, apenas dois optaram pelo kiteski e o resto usou as pipas infláveis. O americano Marcus Flahs Austin foi o campeão na classificação geral, com a pipa inflável. Cory Roeseler, com seu kiteski, ficou em segundo.   O americano campeão mundial de windsurf, Robby Naish, foi o primeiro na categoria slalom e a windsurfista japonesa Tomoko Okazaki foi a campeã feminina, ambos usando a estrutura inflável. O brasileiro Maurício Abreu, também com a pipa inflável, terminou em sexto lugar.

No ano de 2000, foi criado o Kiteboard Pro World Tour, o primeiro Circuito Mundial de Kitesurf. O campeonato passou por países como Cabo Verde, República Dominicana, França e Rio de Janeiro. Na praia da Barra da Tijuca, no Rio de Jasneiro, o francês Christopher Tasti e a neo-zelandesa Stephanie Gamble se tornaram os primeiros campeões mundiais. Os franceses Franz Olry e Anne Laure Pegon venceram a etapa do Rio.   Em 2001, no segundo ano do Kiteboard Pro World Tour, o Rio encerrou mais uma vez o circuito e ganhou o status de Campeonato Mundial feminino. Os atletas fundaram a Kiteboard World Association (KWA) e nesse ano também foi criada a Associação Brasileira de Kitesurf (ABK), que promoveu o 1º Desafio Brasileiro de Kitesurf, na cidade de Araruama, vendido por Marcelo Cunha e Daniela Monteiro.

Fonte: O Radical    http://oradical.uol.com.br/kitesurf/historiakitesurf.asp

Foto: Nicolly Andrade

É possível praticar kitesurf em candeias!!

Point de Velejo   Barra de Jangadas

Litoral sul de Recife, na vizinha cidade de Jaboatão dos Guararapes. O acesso é por vias urbanas, no final da praia de Candeias.

Candeias Fica a 30 minutos de Centro de Recife e dez minutos do Aeroporto

http://maps.google.com.br/maps?q=praia+de+candeias+Jaboat%C3%A3o+dos+Guararapes&hl=pt-BR&ie=UTF8&ll=-8.219093,-34.921975&spn=0.024338,0.042272&sll=-8.196814,-34.925252&sspn=0.024339,0.042272&hnear=Praia+de+Candeias&t=m&z=15

Foto:Nicolly Andrade