Água de coco – milagre ou mito?

Apelidada de “bebida esportiva natural” e “potencializador da vida”, uma caixinha de água de coco custa cerca de $2-3. Não é a toa que as celebridades americanas substituíram as suas bebidas de açaí e água de Kabbalah.

Sem gordura, sem colesterol, de baixa caloria, super-hidratante, naturalmente rica em eletrólitos – a água de coco é a mais nova  mania dos Estados Unidos nos quesitos  de saúde.

Sem gordura, sem colesterol, de baixa caloria, super-hidratante, naturalmente rica em eletrólitos – a água de coco é a mais nova mania dos Estados Unidos nos quesitos de saúde.

Nos Estados Unidos, a bebida chegou há sete anos através da  Vita Coco, um fabricante independente que vendeu 20 milhões de dólares do suco em 2009.

O Brasil produz, por ano, 500 milhões de litros de água de coco e cerca de 7% desse total são destinados à exportação. Outros países da América do Sul, como Argentina, Uruguai e Paraguai, são compradores da água de coco brasileira. Agora os Estados Unidos e alguns países da Europa também começam a investir neste produto.

Para o Brasil, o coco verde representa garantia de emprego e geração de renda para os produtores. É a segunda maior atividade produtiva do nordeste depois da cana de açúcar e emprega cerca de milhares de  pessoas entre plantio, colheita e distribuição do produto.

A água de coco é considerada um isotônico natural por ser rica em minerais. A presença de eletrólitos como sódio e potássio, possibilita uma absorção mais rápida, recuperando as perdas destes minerais através da urina e da pele.  Além disso, é a única bebida isotônica natural disponível comercialmente. Portanto, é ideal para repor o líquido perdido depois das atividades físicas e para a recuperação nos casos de desidratação, por ser um excelente soro vegetal.

Também usada como remédio para ressaca – a água de coco – pois  seus carboidratos repõem a energia perdida com o excesso de bebida alcoólica. É empregada como conservante para córneas humanas destinadas a transplantes. E durante a II Guerra Mundial foi usada como soro fisiológico, sendo injetada na veia de soldados feridos para equilibrar os líquidos do organismo nas cirurgias de emergência. A água de coco também  é conhecida por ter uma composição bastante próxima à do plasma humano.

Além de hidratar, a água de coco consegue enganar a fome típica que surge nos intervalos entre as refeições. E o potássio  auxilia no funcionamento do intestino, os alimentos são digeridos rapidamente e o paciente perde peso mais facilmente. A água de coco tem poucas calorias e ajuda a metabolizar a comida. Beber um copo equivale a comer uma laranja inteira ou meia maçã.

O ideal é tomar de um a três copos por dia, sem exageros. As pessoas que sofrem de diabetes, problemas renais e hipertensão não devem tomar muita água de coco por causa do sódio que pode acirrar estas doenças.

Não é mito não!

Podemos considerar a água de coco um verdadeiro milagre, uma bebida singular! Reconhecida internacionalmente como o melhor reidratante oral, promove o equilibrio da química do corpo, ativa o sistema imunológico, protege contra vários tipos de cancer e possui propriedades anti-envelhecimento.

A estrela- o coco

Nosso querido coquinho cresceu foi industrializado e ganhou o mundo. Hoje ele disputa espaço nos comerciais de Tv com celebridades como Zico. A Pepsi o colocou em caixinhas, outros o colocaram em latinhas e copinhos plásticos.

Mas o que é mesmo água de coco industrializada?

Maior durabilidade agregada a um sabor muito próximo ao natural é um fator muito requerido no mercado de produtos alimentícios.

Maior durabilidade agregada a um sabor muito próximo ao natural é um fator muito requerido no mercado de produtos alimentícios.

De acordo com artigo publicado no site da EMBRAPA,  água de coco envasada pode ser apresentada sob diversas formas, indo desde a caixinha tipo longa vida e latas de alumínio à temperatura ambiente, passando pela garrafa PET ou em polietileno na forma resfriada, ou ainda congelada.O mais sensato seria consumir a água de coco no próprio fruto, porém problemas de inconveniência de uso, ocupação de espaço em unidades de comercialização ou mesmo em geladeiras domésticas e ainda uma vida útil reduzida do fruto in natura, tem colaborado para que esta seja muito visada como um produto industrializado, de fácil utilização, estocagem e com uma vida útil de até seis meses. Os desafios deste mercado são ainda grandes e a tecnologia de métodos combinados minimiza as barreiras à expansão da venda desse fruto.

E agora?

O coco ficou famoso, foi explorado, industrializado, exportado e caiu na boca (literalmente) dos famosos de Hollywood. O que será que acontece com os residuos? Pra onde vai a casca?

segundo artigo postado no site Cocoverderj, para cada 250ml de agua de coco verde, 1KG de lixo é gerado.E para onde estaria indo esse lixo? Ainda de acordo com o site, que tem como objetivo a valorização do lixo gerado pelo consumo da agua de coco, uma tonelada dia de lixo de coco cria 6 empregos diretos.

segundo artigo postado no site Cocoverderj, para cada 250ml de agua de coco verde, 1KG de lixo é gerado.E para onde estaria indo esse lixo? Ainda de acordo com o site, que tem como objetivo a valorização do lixo gerado pelo consumo da agua de coco, uma tonelada dia de lixo de coco cria 6 empregos diretos.

Tem gente reciclando a casca do coco. Com ela pode se fazer coisas bem interessantes para decoração, construção, agricultura, jardinagem, artesanato.

Leia mais:  

http://cocobom.blogspot.com/2008/01/coco-fibra-aproveitamento-reciclagem.html

http://www.marcaambiental.com.br/novo/conteudo-verde/noticias/fabricas-de-gesso-apostam-na-reciclagem-da-casca-do-coco-verde.aspx

Fonte:

http//agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2004-03-17/agua-de-coco-do-brasil-comeca-ganhar-mundo

http://www.aguadecocoverde.blogspot.com/

http://www.cnpat.embrapa.br/home/portfolio/tecnologia.php?id=15

http://www.cocoverderj.com.br/imprensa/Setor%20Reciclagem%20-%20Projeto%20coco%20verde%20-%20RJ.htm

Braçadas em alto mar

Que tal aproveitar as férias para aprender a nadar no mar? É relaxante e emagrece, mas só quem já sabe nadar na piscina − e muito bem − pode se arriscar. Se esse é o seu caso, umas braçadas no Atlântico só podem fazer bem.

“A diferença básica, naturalmente, é de paisagem”, ensina o professor de Educação Física Ítalo Saldanha. “Na piscina, o espaço é fechado, a água é branda e não há ondas. No mar, temos maré, correnteza e a densidade da água é menor, o que ajuda a boiar”.

A natação em águas abertas, ou “travessia, ficou tão popular que virou esporte pan-americano.

“Quem pratica a natação sabe o bem que faz. Iniciar ou terminar um dia com algumas braçadas. Em contato com a natureza, então, esses benefícios ficam ainda mais evidentes”, conta o triatleta Vinícius Santana.

A travessia é um esporte aeróbico, tão completo quanto a natação tradicional – porém, no oceano, há mais trabalho de resistência e consumo de gordura. A técnica também não é exatamente a mesma para as duas modalidades, embora haja mais semelhanças do que diferenças. Para nadar no estilo crawl, por exemplo, o atleta de piscina respira para o lado. “No mar, se você fizer respiração lateral, vai acabar engolindo água por causa das marolas”, avisa Ítalo. “O jeito é levantar a cabeça e olhar para a frente”.

O mar é traiçoeiro

O expediente também ajuda o nadador a se orientar. Como no mar não há raias e na maioria das vezes não dá para ver o chão, a solução é adotar um ponto de referência fora d’água para evitar o ziguezague. “É necessário algum tempo para aprender a nadar em linha reta. Uma dica é mirar uma pedra do outro lado da praia”, sugere Vinícius.

Outro detalhe: no mar não dá para pôr o pé no chão e nem para segurar na parede na hora do cansaço. Por isso, por mais expert que seja o nadador, ele jamais deve enfrentar uma travessia desacompanhado. Basta observar os atletas de alto rendimento: eles só nadam supervisionados por uma equipe, que inclui desde treinador até bote salva-vidas. “O mar é traiçoeiro”, alerta Ítalo Saldanha.

Confira abaixo dicas para praticar a travessia com segurança:

Procure uma praia tranqüila, com salva-vidas e nade apenas quando o mar estiver calmo.

Converse sobre as condições da praia e do mar para nadar.

Avise ao salva-vidas que você irá nadar.

Use uma touca de natação de cor forte, para que você seja visualizado facilmente.

Tenha cuidado com mau tempo.

Caminhe pela praia para visualizar bem marcos em terra (postos, por exemplo) e meça a distância que você irá percorrer.

Nadar sempre ao longo da praia e nunca em direção a alto mar.

Cuidado com cãibras e desidratação.

Evite horário de sol muito forte.

Use protetor solar. Faça um bom alongamento antes e depois de nadar e caminhe por uns 20 minutos para aquecer, antes de entrar no mar.

Entre devagar, molhando as partes do corpo lentamente.

Fonte: texto extraido do site: http://www.xenicare.com.br/pc/obesidade/xenicare/web/printMatch.asp?CAN=2&MAT=bracadas_maritimas