Nestas férias, experimente remar, no rio ou no mar

Foto de Leiliana cabral

Uma excelente atividade para você manter a forma é sem dúvida, remar com um caiaque. Se ainda não experimentou, vale a pena tentar.

Além de divertido (pois você estará fazendo uma atividade esportiva diferente e prazerosa), você estará em contato com a natureza, apreciará uma bela paisagem, queimará muitas calorias (em média 500 calorias em 1 hora) e exercitará todo o seu corpo.

Nessa atividade, o tronco permanece em movimento o tempo todo, enquanto a parte inferior mantém o equilíbrio, se movimentando também. Desta forma você trabalha as costas, que são muito solicitadas; o abdome, que, juntamente com os joelhos, ajudam a elevar ou afundar a proa ou a popa do caiaque; os braços, que exercem uma força propulsora, auxiliados pelos ombros, as coxas e pernas, que realizam movimentos de flexão e extensão.

Como você vê, o trabalho muscular é intenso, eliminando todo o estresse. Você melhorará a sua flexibilidade, a coordenação motora e o equilíbrio. Para fazer todos estes movimentos, coloque a pá do remo na água em perpendicular.

Para que a remada tenha efeito, execute um movimento amplo, levando o braço bem para frente e, em seguida, bem para trás, quase encostando na traseira do caiaque.

Você deverá escolher um remo adequado à sua altura. Pegue o remo e coloque-o na vertical ao seu lado. Levante um dos braços e, se os seus dedos alcançarem o extremo, sem que você fique na ponta dos pés, este remo está adequado a você.

Dicas

•Faça alongamentos antes e depois de remar;

•Use colete salva-vidas;

•Use protetor solar;

•Reme em lugar seguro e sempre avise alguém que está remando;

•Evite lugares de correnteza e áreas próximas a pedras;

•Prefira os caiaques abertos, onde as suas pernas não fiquem presas.

Relaxe e divirta-se!

Por: Valéria Alvin Igayara de Souza CREF 7075/ GSP – Especialista em treinamento.

Texto extraido do site: http://cyberdiet.terra.com.br/nestas-ferias-experimente-remar-no-rio-ou-no-mar-3-1-2-88.html

Anúncios

Braçadas em alto mar

Que tal aproveitar as férias para aprender a nadar no mar? É relaxante e emagrece, mas só quem já sabe nadar na piscina − e muito bem − pode se arriscar. Se esse é o seu caso, umas braçadas no Atlântico só podem fazer bem.

“A diferença básica, naturalmente, é de paisagem”, ensina o professor de Educação Física Ítalo Saldanha. “Na piscina, o espaço é fechado, a água é branda e não há ondas. No mar, temos maré, correnteza e a densidade da água é menor, o que ajuda a boiar”.

A natação em águas abertas, ou “travessia, ficou tão popular que virou esporte pan-americano.

“Quem pratica a natação sabe o bem que faz. Iniciar ou terminar um dia com algumas braçadas. Em contato com a natureza, então, esses benefícios ficam ainda mais evidentes”, conta o triatleta Vinícius Santana.

A travessia é um esporte aeróbico, tão completo quanto a natação tradicional – porém, no oceano, há mais trabalho de resistência e consumo de gordura. A técnica também não é exatamente a mesma para as duas modalidades, embora haja mais semelhanças do que diferenças. Para nadar no estilo crawl, por exemplo, o atleta de piscina respira para o lado. “No mar, se você fizer respiração lateral, vai acabar engolindo água por causa das marolas”, avisa Ítalo. “O jeito é levantar a cabeça e olhar para a frente”.

O mar é traiçoeiro

O expediente também ajuda o nadador a se orientar. Como no mar não há raias e na maioria das vezes não dá para ver o chão, a solução é adotar um ponto de referência fora d’água para evitar o ziguezague. “É necessário algum tempo para aprender a nadar em linha reta. Uma dica é mirar uma pedra do outro lado da praia”, sugere Vinícius.

Outro detalhe: no mar não dá para pôr o pé no chão e nem para segurar na parede na hora do cansaço. Por isso, por mais expert que seja o nadador, ele jamais deve enfrentar uma travessia desacompanhado. Basta observar os atletas de alto rendimento: eles só nadam supervisionados por uma equipe, que inclui desde treinador até bote salva-vidas. “O mar é traiçoeiro”, alerta Ítalo Saldanha.

Confira abaixo dicas para praticar a travessia com segurança:

Procure uma praia tranqüila, com salva-vidas e nade apenas quando o mar estiver calmo.

Converse sobre as condições da praia e do mar para nadar.

Avise ao salva-vidas que você irá nadar.

Use uma touca de natação de cor forte, para que você seja visualizado facilmente.

Tenha cuidado com mau tempo.

Caminhe pela praia para visualizar bem marcos em terra (postos, por exemplo) e meça a distância que você irá percorrer.

Nadar sempre ao longo da praia e nunca em direção a alto mar.

Cuidado com cãibras e desidratação.

Evite horário de sol muito forte.

Use protetor solar. Faça um bom alongamento antes e depois de nadar e caminhe por uns 20 minutos para aquecer, antes de entrar no mar.

Entre devagar, molhando as partes do corpo lentamente.

Fonte: texto extraido do site: http://www.xenicare.com.br/pc/obesidade/xenicare/web/printMatch.asp?CAN=2&MAT=bracadas_maritimas

STAND UP SURF OU PADDLE SURF

Stand up surf, ou paddle surf, é um esporte de origem havaiana. É uma forma antiga de surfe que reapareceu na década de 1960 com os professores de surfe que aproveitavam a estabilidade e a visibilidade que o esporte proporciona.

Surf praticado em pé e com o uso de remos. Assim pode ser definido, de forma básica, o Stand Up Paddle Surf, uma variação do surf, que ainda está começando a se difundir no Brasil. O Stand Up já atrai vários adeptos e para praticar, só são necessários uma prancha e um remo.

“Todo mundo pode praticar, é bem gostoso. Para começar, é preciso ter uma prancha de 10 a 12 pés, mais larga e mais grossa que as do surf convencional para dar mais estabilidade ao atleta. É necessário também um remo, do estilo canoa havaiana, e o tamanho deve ser sempre um palmo acima da cabeça”, explicou o atleta Hilton Alves, do Guarujá.

A prática do esporte mantém o preparo físico e está se tornando popular entre os surfistas. Tanto, que até vários atletas aderiram ao Stand Up, como Kelly Slater, Brian Keaulana, Todd Bradley e Rob Machado.

No Brasil, atletas como Luiz Juquinha, Jorge Pacelli, Jairo Pontes, Haroldo Ambrosio e Herbert Passos são vistos dividindo as ondas com surfistas das praias do litoral paulista. Hilton começou no Stand Up no início de dezembro do ano passado e agora seu próximo objetivo é participar da mais longa prova de remada oceânica no mundo, o Molokai to Oahu Quiksilver Paddleboard Race, que será realizada agora neste mês, no Havaí.

Hilton irá participar na categoria stand up team, onde o atleta rema em pé 52 km, no canal de Kai + CHAR(39) + + CHAR(39) + + CHAR(39) + wi, que divide as ilhas de Molokai e Oahu, no Hawai. O shaper Luiz Juquinha vai competir com Hilton. A cada 10 Km, a dupla vai revezar o percurso até completar a disputa. “Estou treinando para esta competição e agora só estou dependendo de patrocínio para ir”, afirmou Hilton.

Hilton já chegou a praticar diversos esportes, além do surf, esporte ao qual se dedica há 19 anos, mas hoje prefere muito mais o Stand Up. “No Stand Up Paddle Surf você vê o mar de um ponto de vista diferente, já que fica em pé na prancha, sem falar no contato com a natureza, é muito bom”.

Fonte: O Radical  http://oradical.uol.com.br/conteudo/stand_up_paddle_surf_2007.asp

POINT PARA STAND UP SURF  EM PERNAMBUCO:

1- Litoral sul de Recife, na vizinha cidade de Jaboatão dos Guararapes. O acesso é por vias urbanas, no final da praia de Candeias.

Candeias Fica a 30 minutos de Centro de Recife e dez minutos do Aeroporto.

Considerada uma das orlas mais tranquilas da região metropolitana, a Praia de Candeias possui características bastante favoráveis à prática de esportes aquaticos.

Devido aos arrecifes, há formação de piscinas naturais na maré baixa, onde é possível observar várias jangadas atracadas no litoral. A Praia de Candeias ainda sofre influência do estuário de Barra de Jangada, quando há o encontro dos rios Jaboatão e Pirapama.

Embora esteja localizada numa área de grande concentração urbana, entre Piedade e Barra de Jangada, as suas águas são limpas e rasas, com poucas ondas, o que a tornam ideal para o banho de mar, pratica de stand up surf, kitesurf, caiaque.

2- Muro Alto está situada no município de Ipojuca, Pernambuco, à 54 Km da capital, Recife. Um lugar paradisíaco de águas cristalinas e ideais para uma passeio de Stand Up Paddle. 

Piscinas naturais na praia de Candeias - litoral sul Pernambuco

Foto: Nicolly Andrade

Fonte:  http://www.kitesurfnordeste.com/estados/pernambuco

Cura que vem do mar

 

2008-086

Mar proporciona diversão, relaxamento e muitos benefícios para a saúde!

Por Lílian Alves

Segundo os clássicos, Vênus, a Deusa da beleza, nasceu do mar. A ciência diz que do mar nasceu a vida. Um banho com água do mar à temperatura corporal proporciona nutrientes idênticos aos elementos encontrados no nosso plasma sanguíneo, o que faz com que o corpo os absorva quase que por osmose. Quinze minutos de imersão na água salgada é o suficiente para que ocorra transferência de íons para a pele, o que facilita a libertação de toxinas, gordura e outras impurezas.

Continuar lendo