Porto de Galinhas (Summerville)

Wazari

Em junho de 2008 eu voltei a Porto de Galinhas, pois já tinha ido em 2004. Dessa vez o meu objetivo era aproveitar o Summerville Resort. Porto de Galinhas fica a 1 hora de Recife e o resort fica localizado próximo a praia de Muro Alto, em uma rua onde estão uma série de outros resorts, como o Nannai, Beach Class e Marulhos.

O hotel trabalhava somente no sistema meia pensão e não sei se eles irão algum dia adotar o all-inclusive, mas torço para que sim. As crianças são exceção, pois tem direito ao buffet infantil no almoço e jantar.

O resort é muito bonito e o tamanho dos quartos muito bom. Além do prédio principal, que tem a recepção, a área para convenções, salas recreativas e alguns quartos, o resto do resort é formado por pequenos prédios ao redor da piscina. O nosso ficava no…

Ver o post original 661 mais palavras

beach photos – brazil – fotografando-praia

 

Braçadas em alto mar

Que tal aproveitar as férias para aprender a nadar no mar? É relaxante e emagrece, mas só quem já sabe nadar na piscina − e muito bem − pode se arriscar. Se esse é o seu caso, umas braçadas no Atlântico só podem fazer bem.

“A diferença básica, naturalmente, é de paisagem”, ensina o professor de Educação Física Ítalo Saldanha. “Na piscina, o espaço é fechado, a água é branda e não há ondas. No mar, temos maré, correnteza e a densidade da água é menor, o que ajuda a boiar”.

A natação em águas abertas, ou “travessia, ficou tão popular que virou esporte pan-americano.

“Quem pratica a natação sabe o bem que faz. Iniciar ou terminar um dia com algumas braçadas. Em contato com a natureza, então, esses benefícios ficam ainda mais evidentes”, conta o triatleta Vinícius Santana.

A travessia é um esporte aeróbico, tão completo quanto a natação tradicional – porém, no oceano, há mais trabalho de resistência e consumo de gordura. A técnica também não é exatamente a mesma para as duas modalidades, embora haja mais semelhanças do que diferenças. Para nadar no estilo crawl, por exemplo, o atleta de piscina respira para o lado. “No mar, se você fizer respiração lateral, vai acabar engolindo água por causa das marolas”, avisa Ítalo. “O jeito é levantar a cabeça e olhar para a frente”.

O mar é traiçoeiro

O expediente também ajuda o nadador a se orientar. Como no mar não há raias e na maioria das vezes não dá para ver o chão, a solução é adotar um ponto de referência fora d’água para evitar o ziguezague. “É necessário algum tempo para aprender a nadar em linha reta. Uma dica é mirar uma pedra do outro lado da praia”, sugere Vinícius.

Outro detalhe: no mar não dá para pôr o pé no chão e nem para segurar na parede na hora do cansaço. Por isso, por mais expert que seja o nadador, ele jamais deve enfrentar uma travessia desacompanhado. Basta observar os atletas de alto rendimento: eles só nadam supervisionados por uma equipe, que inclui desde treinador até bote salva-vidas. “O mar é traiçoeiro”, alerta Ítalo Saldanha.

Confira abaixo dicas para praticar a travessia com segurança:

Procure uma praia tranqüila, com salva-vidas e nade apenas quando o mar estiver calmo.

Converse sobre as condições da praia e do mar para nadar.

Avise ao salva-vidas que você irá nadar.

Use uma touca de natação de cor forte, para que você seja visualizado facilmente.

Tenha cuidado com mau tempo.

Caminhe pela praia para visualizar bem marcos em terra (postos, por exemplo) e meça a distância que você irá percorrer.

Nadar sempre ao longo da praia e nunca em direção a alto mar.

Cuidado com cãibras e desidratação.

Evite horário de sol muito forte.

Use protetor solar. Faça um bom alongamento antes e depois de nadar e caminhe por uns 20 minutos para aquecer, antes de entrar no mar.

Entre devagar, molhando as partes do corpo lentamente.

Fonte: texto extraido do site: http://www.xenicare.com.br/pc/obesidade/xenicare/web/printMatch.asp?CAN=2&MAT=bracadas_maritimas

Sirinhaém: Praias do litoral sul

 Por Felipe Maior

O litoral de Sirinhaém estende-se ao longo de vários quilômetros, desde a Praia da Barra de Sirinhaém, ao sul da desembocadura do Rio Sirinhaém até a Praia de Guadalupe, a norte da desembocadura do Rio Formoso. São extensas praias repletas de coqueiros, caracterizadas por suas águas tranquilas e cristalinas, especialmente indicadas para a prática de esportes náuticos. Uma das mais freqüentadas por seus bons serviços é a praia da Barra de Sirinhaém.

Continuar lendo

Curiosidades sobre os recifes

atgaaach_ggpivp8lftuvxgyoqigieylmtjf0cx7ixpbf7qatvd3hdlae7x2sf9-hhk-ynqxyjp2v575qs_hxyez30_qajtu9vcvsqlyagtigdgortnkybsuox1z9w

Os recifes vêm sofrendo muito em tempos de mudanças climáticas.

Por Lilian Alves

No Brasil, a maioria dos recifes é de arenito consolidado pelo carbonato de cálcio produzido da dissolução de conchas. Recifes podem representar grande perigo para a navegação quando formam bancos rochosos que emergem à superfície dos oceanos. Por outro lado, funcionam como ancoradouro natural e proteção contra a erosão do mar. Além de ser área de lazer para banhistas, que aproveitam as piscinas naturais formadas na maré baixa. A freqüência dessas formações no litoral do Nordeste brasileiro deu nome a uma das mais importantes capitais da região, Recife.

Continuar lendo