Como nascem os recifes

reefs_068

Os recifes de coral crescem nos oceanos tropicais onde a temperatura do mar nunca é inferior a 20ºC

Por Lilian Alves

Para entender melhor como se formam as piscinas naturais, precisamos entender como se formam os recifes. Localizados em mares tropicais sem correntes frias e com águas limpas, oxigenadas e ricas em matérias-primas, os recifes são formações rochosas que se estendem a certa distância da costa ou diretamente sobre ela. E compõem ecossistemas marinhos de grande biodiversidade que atraem a atenção de oceanógrafos e biólogos, além dos mergulhadores.

Os recifes ocorrem em áreas costeiras rasas com leve declive no relevo em direção às regiões mais profundas do mar. Podem ser de barreira quando formam uma muralha afastada; de franja quando se prendem a terra num lado enquanto o outro cresce mar adentro; ou pode ser um atol quando tiver a forma circular. Dividem-se em dois grandes grupos: os recifes de corais e os de arenito.

 

Os recifes de corais são formações calcárias constituídas principalmente de algas e esqueletos de animais que vivem em colônias coloridas e de formas espantosas que crescem nos mares. Podem formar recifes de grandes dimensões que hospedam um ecossistema de biodiversidade e produtividade incríveis.

 grande-barreira-de-coral

O maior recife de coral vivo está na Grande Barreira de Coral, em Queensland, Austrália. Também considerado o maior indivíduo vivo da Terra. Mas, infelizmente, devido à poluição e aquecimento marinho, está morrendo.

 

Corais
Os corais geralmente desenvolvem-se em águas tropicais e subtropicais, mas podem ser encontrados em pequenas colônias de coral em águas frias, como ao largo da Noruega.

Os recifes de arenito são originados da cimentação de bancos de areia. O elemento aglutinador pode ser carbonato de cálcio ou óxido de ferro. Arenito de praia é uma rocha constituída predominantemente de grãos de areia cimentados por carbonato de cálcio. O principal componente é o quartzo. Há incrustadas conchas de moluscos e de outros organismos que viveram no local.

 

+Notícias sobre o assunto:

Anúncios

6 comentários sobre “Como nascem os recifes

  1. Eu,gostei muito ,porque e uma coisa atrativa falar sobre os peixes,e ver as paisagens belissimas.Foi muito bem escolhida as fotos, da vontade de voce ir la.O texto esta facil de entender, e teve uma boa escrita, o publico pode ser de todas as idades,parabens a todos!

  2. Adorei a matéria, muito rica em informações e importante para o maior entendimento sobre essa maravilha q são os arrecifes, parabéns a todos q estão envolvidos nesse projeto e continuem nos informando cada dia mais.

  3. Pingback: Curiosidades sobre os recifes « Piscinas Naturais Pernambuco

    • O coral nada mais é que um pequeno animal marinho, que vive em colônias – geralmente em mares de temperatura mais amena, como nas regiões tropicais e subtropicais. Enquanto está vivo, esse organismo secreta à sua volta um esqueleto de carbonato de cálcio, substância extraída da água do mar. Após sua morte, novas colônias desenvolvem-se sobre essa estrutura rígida, formando, com o tempo, os paredões calcáreos que chamamos de recife. O processo todo demora, obviamente, milhares de anos.

      “Existem três tipos de recifes de coral: franjas, barreiras e atóis”, afirma a bióloga Flora Hadel, da Universidade de São Paulo (USP). Sua formação geralmente começa pelas praias, estendendo-se até 400 metros mar adentro. Nesse estágio inicial, eles são batizados de franjas. Já as barreiras surgem quando a erosão das praias afasta o recife da beira-mar. É o caso da mais famosa dessas formações, a Grande Barreira de Corais, na Austrália, com 2 000 quilômetros de extensão. O atol, por sua vez, é como um anel, formado quando essas barreiras circundam alguma ilha que, também devido à erosão, deixa de existir.

      Os recifes de coral têm vital importância para a manutenção do equilíbrio biológico, por servirem de abrigo para uma enorme diversidade de espécies de peixes, algas, crustáceos e outras criaturas marinhas que vivem e se reproduzem sob sua proteção. Eles também estão entre os mais ameaçados pela elevação da temperatura da Terra, pois o aquecimento dos mares pode levá-los à extinção.

      Fonte: http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-se-formam-os-recifes

    • Os recifes de corais são estruturas calcárias construídas, principalmente, por corais; além destes, participam também de sua formação os hidrocorais, as algas calcárias, os moluscos e vários outros organismos.

      Os corais são animais cnidários (urticantes), como as caravelas e as medusas, que possuem um esqueleto externo de carbonato de cálcio. Existem no Brasil 20 espécies, sendo 15 de corais hermatípicos e 5 de hidrocorais (incluindo uma espécie nova registrada no Parcel do Manuel Luiz-MA).

      Os ambientes recifais necessitam de águas claras, limpas e quentes. No Brasil, estas condições são freqüentes no Nordeste, sendo a região de Abrolhos (BA) o local de maior diversidade de espécies de corais. A maioria dos recifes brasileiros é recifes de arenito, porém estes possuem uma considerável fauna coralínea e uma enorme importância ecológica e econômica.

      Fonte: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/corais/recifes-de-corais-3.php

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s